Com o olhar voltado para o contexto histórico que envolve o fluxo migratório da espécie humana e a disseminação e intercâmbio de cultura ao longo dos anos, um tema afrofuturista acaba de nascer com propostas de moda para o verão 20.

Segundo o WGSN, o otimismo está em alta entre os jovens africanos. O interesse global pela África está aumentando, e isso por si só aumenta o interesse por novas narrativas. Grandes marcas já começam a buscar inspiração e, principalmente, dar voz aos protagonistas dessa história. “Deixem que nós contemos as nossas histórias. Quero uma perspectiva interna – crua, real, é isso o que somos”, diz o cineasta Sunu Gonera.

Wakanda, tema que reflete essa realidade para a moda, é a expressão de um tempo futuro, em um espaço indeterminado, em que as referências culturais se solidificam através de brilhos trazidos de elementos tecnológicos, em uma mistura de tons terroso e quentes a brilhos acobreados.

Mix de culturas

Os aglomerados urbanos pós-migratórios surgem com influências oriundas da Ásia e do Oriente Médio, propondo modelagens esportivas com um ar sexy, compostas por tecidos fluidos e translúcidos, aplicados em capas, túnicas e mantos, criando uma estética neo hindu e tech zen.

Já a influência western nipônica, derivada da globalização, traz elementos unissex e sem traços étnicos a esse cowboy minimalista. Calças jeans cintura alta, camisas country simplificadas e acessórios em couro surgem como uma nova proposta de workwear.

Os tecidos Wakanda

A exuberância mora nos detalhes. Com a presença de fios lurex, a Malha Firenze Metallic mostra que mesmo em peças simples do dia a dia, como cardigãs, vestidos, blusas e saias, propostas sofisticadas são bem vindas e transitam sem dificuldade entre eventos diurnos e noturnos.

Já a Malha Meteora, cujo nome se originou de uma região da Grécia com formações rochosas bem peculiares, possui ranhuras em fios coloridos que formam um precioso degradê. Fios lurex iluminam a superfície do tecido, que une a versatilidade da malha ao visual rico em detalhes.

Inspirado em pedras em seu estado natural – bruto – o Paetê Atlantis traz uma superfície assimétrica e de brilho único. Seu caimento permite que ele seja usado tanto em peças inteiras como para acrescentar detalhes.

Com uma proposta mais urbana, a Malha Harlem agrega um mood streetwear à coleção. O visual destroyed remete aos jovens de grandes centros, por isso é indicada para a produção de peças descoladas, como vestidos de shape amplo e camisetas.

Wakanda em cena

  • O vídeoclipe “Por que me chamas?”, de Xênia França, segue a estética proposta pelo tema Wakanda para o Verão 20.
  • A estilista egípcia Amna Elshandaweely se inspira na África para criar suas coleções e está em constante ascensão!
  • O Design Fabric Festival, em Mumbai, apresenta ao mundo a arte e o design da Índia. O foco é estimular o diálogo entre disciplinas diversas.
  • Depois do enorme sucesso de Pantera Negra, a Marvel anunciou que o filme terá uma sequência, já bastante aguardada.