Blade Runner: a moda e a estética futurista se cruzam na próxima temporada

Não tem como negar: desde seu lançamento em outubro de 2017, o filme Blade Runner (originalmente lançado em 1982) tem dado o que falar não apenas pelos nomes de peso que estrelaram o longa, como Ryan Gosling e Harrison Ford, mas especialmente pela estética futurista que vem influenciando a moda mundial e que conquistou a premiação de melhor fotografia no último domingo, durante a cerimônia do Oscar.

Antes mesmo de chegar aos cinemas, a expectativa pelo impacto do filme – especialmente no universo fashion – já era grande, afinal, o primeiro da sequência construiu um legado fashion, assinado por Michael Kaplan e Charles Knode, que influenciou e virou símbolo cult de uma geração inteira. Ombreiras com listras e make pesada, com olhos pretos marcados, formam um visual comumente revisitado por grandes designers na hora de criar coleções que sigam um mood punk rock cheio de glamour.

Entrando nessa onda cyberpunk, trazida à tona por conta do segundo longa, grifes como Calvin Klein e Alexander Wang comprovaram que além de dar certo nas telonas, a combinação cheia de tons contrastantes, com pegada esportiva-chique e, claro, futurista, também dá muito certo nas passarelas.  Desta vez, detalhes em led, cores intensas, conforto e mobilidade parecem guiar as criações.

Em entrevista a CNN, o designer de moda Jeremy Scott declarou: “Inspirado por Blade Runner, procuro fazer algo futurista sem deixar de lado as referências retrô. É isso que faz com que Blade Runner seja fascinante. Porque vivemos em um mundo caótico de várias décadas de arquitetura, design e moda combinando e colidindo dentro desse momento”.

A verdade é que a ideia de uma roupa futurista não mudou completamente dos anos 1980 para cá. Referências geométricas, por exemplo, continuam em nosso imaginário criando novas modelagens e possibilidades de uma roupa ser usada de várias formas – voltando a ideia de criar, a partir dessas inspirações, produções com pegada esportiva, urbana, futurista e versátil.

Entre os tecidos que merecem destaque, está o plástico – que foi apontado como tendência na Paris Fashion Week e está presente na coleção de verão da TexPrima – e se tornou desejo absoluto entre as fashionistas por conta de uma capa utilizada por uma das personagens principais. Se até os pijamas ganharam versão para sair por aí, por que a capa de chuva não poderia virar um item-desejo, não é mesmo? Para não errar, basta escolher modelagens atuais e tons divertidos; a combinação do amarelo com preto, feita no filme, é um exemplo de como é mais fácil de colocar em uso do que você imagina!

2018-04-17T15:27:16+00:00março, 2018|